quarta-feira, 21 de julho de 2010

Atletas tem que ser exemplo de conduta para crianças?


Vou tentar responder, não é fácil. Você acha que um atleta tem obrigação de ser um exemplo de conduta para crianças? A minha resposta imediata é não. O exemplo de conduta primordial para uma criança são os pais e depois a escola. Os atletas não tem nenhuma obrigação de dar bom exemplo as crianças, não é função deles. Certo? 

Pois vamos ver... atletas hoje tomaram uma condição de pessoas públicas. Aparecem na mídia permanentemente, capitalizam com essa exposição e acabam tornando-se marcas comerciais. Como toda marca, essa deverá ser cuidada para que a percepção do público com relação a ela seja a mais próxima possível da imagem idealizada pelo anunciante. 

Gosto muito do profissionalismo de alguns atletas. Ao mesmo tempo que fazem aquilo que sabem fazer, são atenciosos com seus fãs, educados, sabem se expressar e tratam seus companheiros com educação e respeito. Não é possível vencer todos os dias, portanto é necessário saber perder e respeitar o perdedor.

Sempre me impressiona aqueles exemplos que tem maior contraste. Um exemplo, Bob Burnquist. O skate é para adolescentes, tem um ar rebelde, as vezes até de contravenção. Bob é um dos maiores expoentes desse esporte. Alguém já viu alguma entrevista dele? É um cara bacana, calmo, ama o que faz, diverte-se, ao mesmo tempo é muito articulado e educado. Por trás daquela imagem de skatista rebelde temos um atleta profissional que não só é admirado por seus fãs como por seus colegas de competição. 

Outros exemplos de bons garotos? Rogério Ceni, Cafu, Kaká...

Semana de contrastes: todos viram o que ocorreu com o Contador e o Schleck no Tour de France essa semana. Pra quem não viu vou tentar resumir. No ciclismo há uma regra não escrita que se você está em pelotão, pedalando juntos e um dos atletas tem um problema bobo, tal como uma corrente escapar ou um tombo sem consequencia, os outros ciclistas esperam por ele. Isso mesmo em competição. É uma daquelas coisas de fair play que também acontecem no ciclismo. Pois bem, o Contador não respeitou isso e atacou uma montanha quando o Schleck deixou sua corrente escapar, passando assim para primeiro lugar no tour.

Não tenho condições de julgar o que ele fez, me falta conhecimento sobre provas de ciclismo para tal. O que consegui enxergar foi que tanto o público quanto os outros atletas não gostaram dessa atitude. Contador foi vaiado ao subir ao pódio para receber a camisa amarela, e ficou com um sorriso amarelo (desculpa o trocadilho mas não aguentei). Não há um juiz no tour para dar uma penalização de tempo para esse caso, mas todas as câmeras de televisão mostraram para o mundo inteiro o que aconteceu e para piorar a situação, Contador deu uma desculpa mentirosa, dizendo que não viu o problema do outro ciclista, mas as imagens mostram que ele, além de tudo é mentiroso para se defender. Qual será o prejuízo para sua imagem? Só o tempo dirá. Na imprensa especializada e na comunidade de atletas a reação inicial não foi boa. 

Finalizando o texto mas não encerrando o assunto, acredito que todas as figuras públicas devem ter um comportamento adequado. A partir do momento que você decide se expor, seja pela natureza de seu trabalho ou esporte, ou qualquer motivação, deverá ser coerente com a imagem que quer passar e o público que irá atingir. Infelizmente hoje vemos inúmeros casos de comportamentos baixos de atletas. Desde a falta de espírito esportivo, comportamentos inadequados em público, crimes e até morte. No Brasil a coisa é ruim. Poucos atletas tem preparo para entender sua responsabilidade e quando temos o maior líder do país defendendo a mentira e desrespeito as leis repetidamente a coisa fica complicada. 

Mas vamos lá, podemos fazer alguma diferença no nosso meio não podemos? É isso que tento por aqui.

Na foto Andy Schleck.

Fui... pensando

2 comentários:

  1. Boa!

    Seguindo esse raciocínio, acho que não só atletas devem dar bons exemplos, mas pessoas públicas em geral, como políticos, artistas, etc.

    Infelizmente não é isso que se vê.

    Também não sou expert em ciclismo e tampouco conheço o Contador pra falar em desvio de comportamento, mas que foi uma grande falta de esportividade, isso foi!

    Fazer o quê. Em todas as modalidades existem os pit-boys.

    ResponderExcluir
  2. Thiago Vilas Boas21 de julho de 2010 19:23

    "Fair play" é bonito no papel, mas na hora do pega pra capar o teu adversário direto passa por uma adversidade e então é necessário cumprir regras de conduta?

    E os patrocinadores? E a preparação de um ano, ou até de uma vida para estar ali e ter que jogar isso tudo fora por uma boa imagem na imprensa?

    As adversidades são fatores decisivos em praticas esportivas! Ganha quem esta mais bem preparado e o que tem o "feeling" de saber aproveitar as adversidades alheias!

    Não vi deslealdade na atitude do Contador, assim como não vi no toque de mão do Henrry. Não vejo nenhum dos dois pensando na hora dos seus atos "Vou sacanear estes caras".

    No mais parabéns pelo blog tio, sempre que dá acompanho os posts!
    Abração

    ResponderExcluir